Whisky

Whisky

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Desvendando Nº 64: Chequers


Ao longo dos anos, o whisky escocês foi engarrafado em tudo, desde sacos de golfe em miniatura até modelos de monstros do Lago Ness ou do Big Ben, então por que não usar um jarro de cerâmica e empregar em sua cabeça uma rolha?

Marca irmã da Abbot's Choice, Chequers foi um blend de luxo ocasional de John McEwan & Co. O blender baseado em Leith era mais conhecido por sua marca Abbot's Choice, enquanto a Chequers evoluiu para um whisky de luxo de 12 anos que se descrevia como "uma mistura especialmente harmoniosa de scotch whiskies, sendo totalmente da própria escolha de McEwan". Antes disso, Chequers foi lançado como um blend padrão nos EUA com uma série de anúncios pródigos na revista Life no final da década de 1960. Sem dúvida, Chequers veio apresentar o Linkwood como um dos seus maltes constituintes, a destilaria de Speyside licenciada para John McEwan & Co Ltd quando se tornou parte do DCL. Hoje, a marca registrada é propriedade da Diageo.

Os anúncios da revista Life invariavelmente apresentavam imagens da Linkwood, embora não fosse mencionada pelo nome. Foi simplesmente referida como "nossa destilaria de Elgin em Morayshire", com John McEwan & Co Ltd dado como "proprietário da marca Chequers". Na verdade, esta antiga empresa de whisky, fundada em 1863 em Leith, fazia parte da Distillers Company (DCL) desde 1937, cinco anos depois que a DCL adquiriu a Linkwood.


Desde a década de 1960, Chequers foi denominado 'The Superb', 'Superb De Luxe' e 'Mas de 12 años', uma alusão à idade para os principais mercados latinos. Uma versão do Chequers de Luxe sem idade definida ainda pode estar disponível na Venezuela.

O que pude perceber:
Características: cor âmbar, corpo médio.
Aroma: pouco álcool, quase imperceptível, malte, madeira, frutas secas, ameixa, uvas passas. Adocicado, baunilha. Os whiskies de grãos não são perceptíveis. Dá a impressão de que há uma maior proporção de whiskies de malte do que de grãos. Amêndoas. Não senti defumado ou fumaça de turfa. Depois de um certo tempo no copo, toda a evidência de álcool some. Me arrisco a dizer que tem uma contribuição muito grande de barris de sherry. Com um pouco de água o aroma fica terroso e evidencia mais o amadeirado do carvalho. Frutas secas permanecem. Desta vez um pouco de cereais aparecem. Malte, baunilha e gengibre. Álcool inexistente.
Paladar: frutado, especiarias, malte, amadeirado. Uma certa picância que vai esquentando a boca. Chocolate ao leite. Passas. Frutas secas. Uma explosão de sabores. Com um pouco de água fica bastante suave. Sente-se baunilha, cereais, um certo frutado. Notas de cereais provenientes dos whiskies de grãos aparecem agora, deixando a bebida um pouco amarga. A picância persiste e o final fica de médio para longo. Na minha opinião, a água deu uma desestruturada na bebida, de modo que não irei experimentá-la com gelo. Acho que puro é a melhor forma de apreciar.


Foi um whisky que teve toda uma história para ser adquirido, envolvendo outras pessoas de outras cidades até que veio parar em minhas mãos e eu o repassei ao meu amigo Michel Texier que coleciona estas garrafas Vintage de porcelana. Em princípio, a aquisição da garrafa era justamente pela garrafa em si, altamente colecionável, uma vez que não se sabe a verdadeira condição do líquido, como foi preservado, condição da rolha, evaporação, etc. Se o líquido estivesse OK, seria um bônus. E posso atestar que este bônus foi excelente.

A garrafa é muito bonita e elegante e guarda uma excelente bebida. A rolha precisou de um reforço extra para manter a vedação. Talvez também isto explique a quase ausência de álcool, apesar dos 43% ABV. Apesar disso, é um whisky guardado há bastante tempo que manteve intactas suas características. Muito bem feito e balanceado, mostrando que, talvez, antigamente não ligassem tanto para quantidade e, sim, qualidade.




Chequers


Blend Teor Alc 43%

10 comentários:

  1. Boa tarde Michel Hansen, cara eu estou com Uísque passaporte ele tem 20 anos , ganhei ele no dia do meu casamento.
    Gostaria de ver contigo se a possibilidade de vender ele .
    Meu email tronipt@hotmail.com obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandro, enviei um e-mail para você solicitando uma foto da sua garrafa para te ajudar a vender. Fico no aguardo.

      Excluir
  2. Olá nao entendo de whisky mas ganhei um Dimble 18 anos (mas deve ter uns 50 )ele esta lacrado com cera em uma garrafa de ceramica branca tem a rolha presa em um cordao numa tampa de ceramica tambem parece muito antigo nao consigo muita informaçao pois as letras estao apagados era de uma familia israelense. gostaria de saber mais sobre ele . santosdiegoangelo@outlook.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diego, enviei um e-mail para você solicitando uma foto da sua garrafa para poder pesquisar sobre. Fico no aguardo.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Ola Michel, boa noite tenho uma garrafa fechada de Chequers como a do artigo acima, gostaria de saber se pode me orientar em onde posso negociar o whisky, tem mais ou menos 40 anos, uma única garrafa, sou particular e gostaria de sua orientação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, poderá anunciá-la nos diversos clubes de whisky existentes, a maioria no Facebook. Procure por Clube do Whisky, Amantes de Whisky, Clube do Whisky Rio de Janeiro, Single Malt Club. Estes são apenas alguns que conheço, mas há mais. Boa sorte.

      Excluir
  4. Oii, meu pai está se desfazendo da coleção de 165 garrafas de whisky da década de 70 e gostaria de saber se vc pode me ajudar a avaliar os preços.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Envie as fotos para michel.edu.hansen@gmail.com que terei o maior prazer em ajudar. Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Quanto valerá uma garrafa de whisky chequers igual a essa da foto

    ResponderExcluir

Dê sua opinião: