Whisky

Whisky

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Desvendando Nº 12: White Horse

Em seu auge, o White Horse era um dos dez melhores whiskies do mundo e vendia mais de 2 milhões de unidades por ano. O gênio responsável pela bebida era “Restless Peter” Mackie, que assumiu a empresa da família em 1890 e era descrito na época como “um terço gênio, um terço megalomaníaco e um terço excêntrico”. O White Horse ainda é comercializado em mais de 100 países, inclusive uma versão de luxo 12 anos, chamada White Horse Extra Fine. Contém 40% de whiskies de malte em sua composição, onde destacam-se Lagavulin, Talisker, Glen Elgin, Craigellachie e Linkwood.

Curiosidade: o nome "White Horse" vem de uma hospedaria antiga em Edimburgo, frequentada por renomados cavalheiros, que partiam com destino a Londres.


O que pude perceber:

Aroma: aroma de malte, forte, defumado. Logo de cara o álcool se sobressai. Depois que o álcool passa, pode-se sentir o aroma de biscoito de água e sal. Com um pouco de água, suaviza um pouco, no que se refere ao álcool, e acentua o cheiro de defumado. Com gelo, o primeiro aroma que senti foi um mentolado, fresco. Permanece o cheiro do malte, mas fica mais suave.

Paladar: o álcool forte não se confirma no paladar, para minha surpresa. Ele fica sutil. Dá para sentir o gosto de biscoito, bem crocante. O final é relativamente longo. No início, chega a ser macio, sedoso. Porém, é no final seco e longo que predomina o retro gosto de álcool, mas não a ponto de desagradar. Sutil, como falei. Sente-se no final um pouco do gosto de cereais e também um pouco de fumaça. Com um pouco de água, o sabor permanece o mesmo, porém, agora, um pouco mais caramelado. O final continua longo. Com uma pedra de gelo, permanecem os mesmos sabores.

Possui a cor dourado claro e corpo de médio para encorpado. Outro whisky que me surpreendeu por não senti-lo tão agressivo quanto eu supunha. Pensei que seria forte e amargo. Não é. Possui também um final longo, esfumaçado, persistente e agradável. É uma característica que aprecio nos whiskies, a presença da turfa, com seu sabor característico (herança do Lagavulin em sua composição). Possui um excelente custo benefício, já que pode ser encontrado na faixa dos R$ 60,00 ou até menos. Comprei o meu, para experimentar, numa versão alternativa, de 500ml, custando R$ 26,00.


White Horse


Blend Teor Alc 40%


O White Horse preserva o sabor da Lagavulin, assistido por maltes renomados de Speyside. Tem estilo com seu final longo; um blend de grãos crocantes, malte limpo e turfa terrosa.


Saúde.









Fonte: o livro do whisky, wikipedia

22 comentários:

  1. Ultimamente tenho apreciado o Jack Daniel's n7. Mas, essa descrição faz com o White Horse seja observado também. Compra-lo-ei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dos whiskies standards disponíveis hoje no mercado, acho que o White Horse possui um ótimo custo-benefício. Bom, barato e honesto.

      Excluir
  2. Pelo jeito Vinicius de Moraes estava certo ao declamar que seu White Horse era "o cachorro engarrafado"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Fagner. O cara sabia das coisas.

      Excluir
    2. Vinicius de Moraes disse essa célebre frase, fazendo uma referência ao whisky favorito dele à época: Black and White. No rótulo há dois cães (fox terrier inglês) sendo um preto e um branco. E o mais interessante ainda foi numa pergunta que fizeram pra ele: Se você morrer e quiser voltar à vida, em que forma você queria voltar? Ele responde outra máxima: Em forma de girafa. Por que?? Para que o whisky desça mais devagar pela garganta!!!

      Excluir
    3. Boa Maurino Júnior. Mas, a bem da verdade mesmo, é que vários whiskies são citados como sendo os preferidos de Vinícius. White Horse, Black & White, VAT 69 e por aí vai. O certo é que ele gostava mesmo era de whisky. Um abraço.

      Excluir
  3. Alguém sabe identificar o ano do White Horse pelo nr. do lote: XT 9222653 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelino Bedin, difícil saber. O bom seria entrar em contato com a empresa. Um abraço.

      Excluir
  4. Olá Michel, gostaria de uma opinião sua. Irei me formar no fim do mês e estou pensando em disponibilizar uma garrafa de whisky por mesa dos meus convidados. Como não entendo muito das partes técnicas - apenas beber - gostaria de uma opinião sua. Para essa ocasião qual seria melhor? andei pensando em alguns 8 anos: william lawson's, white horse - tomei apenas uma vez, mas gostei bastate - Famous Grouse ou até mesmo o famoso Red Label. Você me indicaria algum?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Homero. Parabéns pela formatura. Dos citados eu iria de Famous Grouse ou White Horse. Os dois com um ótimo custo x benefício. Um abraço.

      Excluir
  5. Ganhei de presente um litro deste. Segundo meu amigo, o White Horse já estava com a família a mais de 35 anos. Claro que não abri e vou guardar por mais 35

    ResponderExcluir
  6. Ganhei de presente um litro deste. Segundo meu amigo, o White Horse já estava com a família a mais de 35 anos. Claro que não abri e vou guardar por mais 35

    ResponderExcluir
  7. Kiu Fotografias, você tem uma relíquia em mãos. O whisky na garrafa, desde que bem vedado, dura por um tempo indeterminado sem perder suas características. Pode guardá-lo pelo tempo que quiser. Porém, um detalhe: ele não envelhece, o líquido permanecerá o mesmo. Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Ola Michel estou com White horse que meu avô ganhou em 1966 e está lacrado em perfeito estado , e estou querendo vender você acha que ele vale quanto ? Se você quiser mando as fotos para você ... obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Elivelton Pereira. Primeiramente desculpas pela demora na resposta, estava de férias e após, tive de ir trabalhar fora de minha cidade por um período, o que me deixou fora das atividades do blog por um bom tempo. Vamos lá. O White Horse não é bem uma garrafa colecionável. É claro que, sendo uma garrafa da década de 60 haja interessados nela, principalmente para aqueles que curtem garrafas vintage, porém não acho que consiga um preço muito em conta. Uma garrafa de White Horse Vintage da década de 60 estava sendo anunciada no e-bay por U$ 8,00. Ou seja, bem abaixo do valor que é vendido hoje no mercado. É claro que em questão de preços tudo é relativo e é uma questão de oferta e procura. Sendo assim, acho que se você pedir algo entre R$ 100 e 150 estará no preço para colecionadores. Para quem vai só beber, pagará os R$ 60 pedidos no mercado. Espero ter ajudado. Um abraço.

      Excluir
  10. Ola Michel estou com White horse que meu avô ganhou em 1966 e está lacrado em perfeito estado , e estou querendo vender você acha que ele vale quanto ? Se você quiser mando as fotos para você ... obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Elivelton Pereira. Primeiramente desculpas pela demora na resposta, estava de férias e após, tive de ir trabalhar fora de minha cidade por um período, o que me deixou fora das atividades do blog por um bom tempo. Vamos lá. O White Horse não é bem uma garrafa colecionável. É claro que, sendo uma garrafa da década de 60 haja interessados nela, principalmente para aqueles que curtem garrafas vintage, porém não acho que consiga um preço muito em conta. Uma garrafa de White Horse Vintage da década de 60 estava sendo anunciada no e-bay por U$ 8,00. Ou seja, bem abaixo do valor que é vendido hoje no mercado. É claro que em questão de preços tudo é relativo e é uma questão de oferta e procura. Sendo assim, acho que se você pedir algo entre R$ 100 e 150 estará no preço para colecionadores. Para quem vai só beber, pagará os R$ 60 pedidos no mercado. Espero ter ajudado. Um abraço.

      Excluir
  11. olá estou vendendo um pinwinnie royale lacrado, so que não faço ideia do valor? poderia me dar alguma ideia de quanto possa valer? obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Considero o Pinwinnie Royale um excelente blended. Pena não ser encontrado aqui no Brasil. Bem, dito isto, apesar de excelente, não é um item de colecionadores e, na Escócia, é uma bebida relativamente barata. Aqui no Brasil, talvez por conta de alguns anúncios no Mercado Livre, criou-se a lenda de que o Pinwinnie é um whisky de Luxo. Não é. Já vi pedirem absurdos R$ 3.000 por garrafa. Na minha opinião, e já colocando o valor dos impostos em cima, é uma bebida que se fosse comercializada aqui no Brasil, e sabendo que se trata de um blend standard, custaria algo entre R$ 100 a, no máximo, R$ 200. Mas, como disse, como não se encontra aqui no Brasil e o Mercado Livre inflaciona o mercado deste whisky, acho que se você pedir algo entre R$ 300 está na ideia. Poderá pedir mais? Sim. Quem não o conhece poderá comprá-lo para dizer que possui algo exclusivo. Mas o que vejo é este whisky encalhado nos anúncios. Um abraço.

      Excluir

Dê sua opinião: