Whisky

Whisky

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Por que o Whisky é tão caro?

A fórmula do whisky é extremamente simples. Em sua composição leva apenas água e cevada e é produzido pelo processo da destilação.

Mas como explicar o seu custo tão elevado? É que ao longo do tempo o processo de fabricação do whisky sofreu mudanças, recebeu muitos impostos, houve muito investimento em pesquisa para melhorar sua qualidade. Chegou mesmo a ser utilizado como remédio e foi contrabandeado na época da Lei Seca, nos Estados Unidos.
A qualidade da água é de total importância na produção do whisky. Ao nascer, ela se eleva através da turfa e corre por verdadeiras estradas de granito até ser canalizada para as destilarias. Deve ter baixo pH, conter equilíbrio de cálcio, magnésio e zinco e estar livre de impurezas minerais e orgânicas.
Embora os elementos que compõem o whisky sejam bem simples o processo de elaboração é bastante complexo e cheio de detalhes que vão resultar na melhor ou pior qualidade da bebida. Embora as destilarias usem os mesmos componentes e métodos de elaboração, cada whisky tem sua personalidade ou seu spirit.
Quando está pronto, o produto é maturado em tonéis de carvalho e se torna mais saboroso e cheiroso. Por lei, o whisky deve maturar pelo menos três anos. Os single malts permanecem maturando por oito, doze ou quinze anos. Uma vez engarrafado o whisky para de envelhecer. Portanto, não adianta guardar por anos a fio aquela garrafa que ganhou de presente.
Existem várias classificações para o whisky: quanto ao país de origem, quanto ao processo empregado e quanto ao tempo de envelhecimento.

Quanto à origem ele pode ser Scotch Whisky, o escocês; Irish Whisky, o irlandês, Canadian Whisky, o canadense; American Whisky, o americano.
Vamos falar sobre cada um deles nos próximos posts. Acompanhem.
Fonte: Clã do Whisky

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião: